quinta-feira, 7 de maio de 2015

Pode dar Milho para Hamster?

      Já faz algum tempo que algumas pessoas na internet vem dizendo que "não pode dar milho para hamsters".
      O argumento é que o milho causa tumores nos hamsters e tem estudos que comprovam isso, e por isso o milho deve ser totalmente excluído da dieta dos hamsters.
      Mas será que isso é verdade? Se for verdade, então por que é que o milho não está proibido? Qual é esse tal de estudo que prova que o milho causa tumores nos hamsters?

O Caso Séralini


      No dia 19 de setembro de 2012 um estudo que supostamente provaria que o milho transgênico é cancerígeno foi publicado na revista "Food and Chemical Toxicology", o estudo conduzido pelo biólogo molecular francês Gilles-Eric Séralini foi amplamente divulgado pelas mídias do mundo inteiro inclusive no Brasil.
      O estudo relatava o desenvolvimento de tumores em ratos que teriam sido alimentados com o milho transgênico NK603 da empresa norte americana Monsanto e também foram divulgadas várias fotos de ratos com tumores enormes que teriam sido causados pela alimentação contento milho transgênico da empresa Monsanto.

Imagem divulgada apresentando os ratos com tumores:

      Pois bem, esse estudo foi rejeitado pelas autoridades europeias, foi rejeitado pela comunidade científica no mundo inteiro e é claro, as autoridades brasileiras bem como a comunidade científica no Brasil também desconsideram a validade deste estudo.

      O estudo foi muito criticado por cientistas do mundo inteiro por muitos motivos, para começo de história, Séralini teria utilizado ratos geneticamente propensos ao desenvolvimento de tumores, o que significa que os ratos desenvolveriam tumores independente do que fosse dado como alimento, ou seja, os tumores que se desenvolveram nos ratos, para começo de história não poderiam ser relacionado ao milho transgênico.

      Se eu for explicar isso de uma maneira bem pessoal, imagine que alguém pega uma vaca pintada e a alimenta com uma ração especial, e quando essa vaca procria e tem um bezerro pintado, então a pessoa diz que o bezerro é pintado porque a mãe foi alimentada com uma ração especial e não porque a progenitora é uma vaca pintada... É claro que isso seria um atentado contra a inteligência humana, e eu posso supor que os cientistas do mundo inteiro não gostaram muito da ideia de alguém cometendo um erro tão grosseiro como esse.

      Até a diferença percentual de desenvolvimento de tumores entre os grupos de ratos alimentados com milho transgênico e os que não foram alimentados com o mesmo, que supostamente seria a prova de que o milho transgênico seria cancerígeno, foi alvo de críticas, pois foi observado que Séralini não tinha conhecimento em calculo de probabilidade.

      Após a publicação do estudo, muitos cientistas começaram a apontar erros no estudo e depois de uma avaliação por especialistas no assunto, as autoridades europeias se pronunciaram rejeitando o estudo observando vários erros de condução no estudo.
A Sociedade Europeia de Patologia Toxicológica emitiu uma carta que pode ser verificada no link abaixo.

Fonte: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0278691512005637

      Na carta, estão apontados vários motivos para a rejeição do estudo entre os quais foi observado que Séralini não tinha conhecimento para conduzir um estudo deste tipo, não tinha conhecimento sobre patologias e não recolheu os dados considerados necessários para um estudo deste tipo
     Resumindo: Séralini era praticamente um leigo tentando conduzir um estudo científico.

      No final a própria revista que publicou o artigo teve que revogar o artigo depois de uma minuciosa avaliação pelos especialistas da própria revista, a retratação era de que o estudo realmente não poderia ser considerado conclusivo.
      Esse caso ficou conhecido como “O Caso Séralini” e pelo menos no meio acadêmico, todo mundo sabe que foi um alarme falso.
      Então “NÃO”, até o presente momento não existe nenhum estudo que prova que o milho transgênico é cancerígeno
      E para finalizar Séralini é conhecido por ser um "ativista anti-transgênicos", não que isso prove que ele tenha manipulado o estudo sobre o milho transgênico, mas sobre esse caso, eu me pergunto se ele realmente não sabia como conduzir um estudo científico...
Conclusão:
      “NÃO”. O ano é 2017 e até o presente momento não existe nenhum estudo que prove que o milho transgênico é cancerígeno.

Fungos e Micotoxinas Cancerígenas no Milho


      O milho está sujeito à ação de fungos e o fungo mais perigoso que pode contaminar o milho é o Aspergillus flavus, esse fungo produz uma substância chamada aflatoxina, que é uma toxina muito perigosa e conhecida por ser cancerígena podendo levar o animal ao óbito em caso de ingestão.

Espigas de milho com fungos:

      É verdade que os fungos são um perigo no milho, porém é importante deixar claro que o problema é o fungo e não o milho.

      "As aflatoxinas não são produzidas sem o desenvolvimento dos fungos", isso deve ficar bem claro. Então o milho que não está com fungos “pode sim” ser dado como alimento para os hamsters sem problema nenhum.

      Algumas pessoas dizem que é preciso eliminar completamente o milho da dieta dos hamsters porque todo o milho tem fungos, mas é lógico que isso não é verdade, pois se todo milho estivesse contaminado por fungos, para começo de história não poderia nem dar ração extrusada para os hamsters, afinal a própria ração extrusada na maioria das vezes contém milho em sua composição, então para mim não faz muito sentido a pessoa dizer para tirar o milho dos mix de sementes ao mesmo tempo em que a mesma pessoa indica uma ração extrusada feita de milho para você dar ao seu hamster.

      Então é preciso deixar claro, “NÃO” não é todo milho que está contaminado por fungos.
      
      É verdade que existem empresas que fornecem mix de sementes de péssima qualidade, e quando o produto é claramente de péssima qualidade, se você observar que o milho está com manchas escuras, sem dúvidas você deve sim retirar o milho do mix de sementes, é óbvio que você não pode dar alimento estragado para o seu animal de estimação, mas isso vale para qualquer alimento.

      Os especialistas virtuais em hamsters costumam passar a impressão de que se você retirar o milho e o amendoim do mix de sementes o problema está resolvido, mas isso não vai garantir a segurança do produto mesmo porque “não é só o milho ou o amendoim que podem estar contaminados por aflatoxinas”.

      O trigo, o arroz, frutas secas, a soja e outros cereais ou até a própria ração extrusada também podem muito bem estar contaminados por aflatoxinas, então quando alguém diz para retirar o milho e o amendoim e está tudo bem, eu sinto muito dizer, mas a pessoa não sabe do que está falando, pois as aflatoxinas não são de maneira nenhuma um problema exclusivo do milho ou do amendoim. 
      
      Após a divulgação do estudo de Séralini, muitas pessoas não estavam entendendo o porquê das coisas, e começaram a relacionar o estudo de Séralini com o fungo e passaram a dizer algo como: “existem estudos que provam que o milho causa câncer porque é tudo fungado”.

      Isso não é verdade, mesmo por que se fosse verdade todas as civilizações humanas já estariam extintas, afinal, todo mundo consome uma coisa ou outra derivada do milho então se todo milho fosse contaminado por fungos, todos estariam com câncer e todos morreriam de câncer.
      Não se pode generalizar as coisas, é verdade sim que o milho pode sim ser contaminado por aflatoxinas, mas daí a dizer que todo milho está contaminado por fungos é um erro bem grosseiro.

      Então para concluir:
      "NÃO", não é preciso eliminar o milho da dieta dos hamsters, se você comprar um mix de sementes de boa qualidade, em que o milho esteja com boa aparência e que não apresente manchas escuras, então você "pode sim dar esse milho para o seu hamster", o milho é um alimento muito nutritivo e contém fibras, proteínas, vitaminas A, E, C, K, B1, B2, B3, B6, cálcio, magnésio, zinco e ferro.

Milho de boa qualidade:

      Mas se você comprar um mix de sementes que seja claramente de péssima qualidade e se você observar que o milho está estragado, então é lógico que você não pode dar esse alimento para o seu animal de estimação.

Observe os exemplos de milho contaminado por fungos:

 Milho contaminado por fungos:

Milho contaminado por fungos:

      O problema não é o milho, a questão é se o alimento está estragado ou não, o problema é a qualidade do produto que você está dando para o seu animal de estimação. Não adianta você tirar o milho e o amendoim incondicionalmente e achar que está tudo certo porque não é só o milho e o amendoim que desenvolvem fungos que produzem aflatoxinas, como eu disse, até a própria ração extrusada pode muito bem estar contaminada por aflatoxinas.
      O que você precisa fazer é observar a qualidade do produto e se observar que a qualidade é péssima, você não deve dar esse alimento para o seu animal de estimação, é simples assim.

Atualizado em 27/08/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário